Conheça “inseticidas” naturais para proteger sua horta orgânica

Para quem está interessado em uma forma mais sustentável de realizar o controle de pragas, os inseticidas naturais são a solução.

2

(Ciclo Vivo) – Os inseticidas naturais estão longe de serem importantes apenas para produtores orgânicos. Eles vêm da época em que ainda não se utilizavam produtos químicos para controle de “pragas”, que ainda que combatam o problema mais rápido, são mais agressivos ao meio ambiente. De acordo com o especialista em Agricultura Orgânica Thiago Tadeu Campos, para quem está interessado em uma forma mais sustentável de realizar o controle de pragas, os inseticidas naturais são a solução.

Alguns benefícios de se utilizar inseticidas orgânicos são que podem ser feitos em casa com baixo custo e são nocivos aos insetos, mas não tóxicos às plantas ou pessoas. Desta forma, é possível combater os insetos prejudiciais à sua horta e ainda manter a boa qualidade dos alimentos.

Tente prevenir sua cultura

Como Ana Primavesi sempre lembra em seus livros, as chamadas “pragas” na verdade são mensageiras de que o solo ou a cultura não estão saudáveis. Então a primeira maneira de se livrar de organismos indesejáveis na sua horta orgânica é com a prevenção: retire plantas fracas, tenha cuidados com o solo (use cobertura morta, compostos orgânicos, etc), faça rotação de plantas e tenha diversidade, e desinfete suas ferramentas, entre outros métodos de prevenção.

Um método é atrair inimigos naturais para sua horta, que são insetos que irão predar os insetos “praga”, e assim fazer o controle, como os louva-deus e as joaninhas.

Aprenda a realizar o combate com inseticidas naturais

Mesmo que se conheçam maneiras de se prevenir ataques de pragas, ainda é fácil ser surpreendido por elas. Para os produtores que sofrem com esse problema e precisa saber como realizar o combate, existem alguns meios, como, por exemplo:

Hortelã: é um chá de hortelã (Mentha spicata) que, pulverizado sobre as plantas, acaba por protegê-la contra insetos, como, por exemplo, formigas.

Cravo-de-defunto: (Tagetes erecta) feito em um caldo, é utilizado para o combate de pulgões. Também pode ser plantado junto às culturas de interesse, realizando assim o controle de insetos, ao agir como repelente, e de nematoides.

Alho: (Allium sativum) útil para o controle e repelência de insetos, como a lagarta da maçã, pulgões, brocas, cochonilhas e ácaros, é interessante pois não deixa o cheiro do alho nas plantas, pois a solução pode ser preparada com sabão e óleo mineral.

Azeite de andiroba: é feito das sementes da árvore andiroba (Carapa guianensis) e controla os insetos, principalmente vaquinhas.

Própolis: substância resinosa resultado da interação das abelhas com as árvores, é utilizado para o controle de doenças, para nutrição das plantas e para diminuir o estresse hídrico.

Extrato pirolenhoso: produto da condensação da fumaça na fabricação de carvão, pode ser utilizado para o combate às lagartas, percevejos, trips, gorgulho, ácaros, moscas, pulgões, gafanhotos, brocas do tomateiro e do café, cochonilhas, bicudo do algodoeiro, cigarrinha da cana e da pastagem e moscas.

Óleo: são vários tipos, como o de eucalipto, útil contra moscas e vespas; de Citrus, bom contra formigas, baratas e lesmas; e de Neem, que combate mais de 500 espécies de insetos.

Arruda: é um arbusto (Ruta graveolens) que atua no combate a pulgões.

Cinamomo: uma árvore (Melia azedarach L.) que combate a pulgões com uma solução de suas folhas e frutos.

Crisântemo: é um chá feito das folhas de crisântemo (Chrysanthemum sp.) que tem ação no sistema nervoso dos insetos, deixando-os imóveis. Com óleo de Neem, sua efetividade é aumentada.

Agave: é um preparado com as folhas maceradas de agave (Agave americana L. Agave atrovirens) e água que ajuda no combate às formigas, aplicado na entrada ou no “olho” dos formigueiros.

Cebola: a cebola (Allium cepa) é útil contra lagartas em beterraba, brocas, pulgões e ferrugem. Pode ser plantada ao lado das plantas de interesse para afugentar brocas.

Tomate: as folhas de tomate (Solanum lycopersicum) possuem ação repelente a pulgões, lagartas e vermes. Faça o uso desse inseticida natural com muito cuidado, porque pode ser tóxico a animais domésticos.

Ovos: você pode triturar as cascas de ovos ou colocar elas em pedaços na base da planta formando um anel que impedirá que lagartas e caracóis se aproveitem da cultura.

Pironim: é um produto comercializado que contém diversos componentes inseticidas, como óleo de Neem, extrato de Timbó, piretro natural, extrato pirolenhoso e losna.

Outros defensivos orgânicos

Já falei sobre alguns defensivos orgânicos aqui no site, como, por exemplo, como combater a mosca branca e o pulgão com calda de pimenta, coloquei uma lista com algumas das principais plantas com atividade inseticida e ensinei como proteger suas plantas dos fungos com a calda bordalesa.

Uma outra maneira de se combater as pragas é com a aplicação de molho ou spray de alga marinha. As algas marinhas contêm zinco, ferro, bário, cálcio, enxofre e magnésio que ajudam no bom desenvolvimento das plantas, então aplicar uma solução de alga marinha irá aumentar a resistência das plantas em relação às pragas em geral. Esse molho inclusive é especial contra lesmas.

Inseticida orgânico para frutíferas

Um inseticida natural para árvores frutíferas, em períodos em que esta se encontra dormente – e somente neste período, ou então corre-se o risco de matar a árvore –, é o enxofre de lima e óleo adormecido, pulverizados sobre o tronco e ramos. Espera-se com isso que se extermine possíveis ovos de insetos. O óleo adormecido pode ser encontrado para comercializar, mas prefira fazer em casa com óleo vegetal.

Inseticidas naturais ou não: última alternativa

Fique sempre atento às outras pragas que podem atacar sua horta, como as lesmas, nematoides e fungos, e procure produtos ou soluções orgânicas para manter a qualidade e rendimento do seu cultivo. Mas, lembre-se, essas medidas devem ser empregadas quando não há outra solução, e tente sempre manter a saúde do seu cultivo para evitar a ocorrência de pragas.

2 Comentários

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here