Perini Business Park atrai UFSC e negocia com mais de 20 empresas

Para CEO, a universidade auxiliará na busca por empreendimentos com um viés maior em tecnologia

0
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

(A Notícia) – Superadas as dificuldades impostas pela crise nos últimos 30 meses, os negócios do Condomínio Perini Business Park, em Joinville, retomam o ritmo mais acelerado neste semestre. Agora, muitas empresas nacionais e estrangeiras analisam a possibilidade de se instalar lá. Há negociações com companhias da Alemanha, Suíça e Japão, além de várias brasileiras.

— Temos pelo menos 20 negociações em andamento — afirma o CEO Marcelo Hack.

Os números impressionam quem visita e conhece a evolução do complexo multissetorial. O Perini tem geração de riqueza de R$ 4,3 bilhões por ano. Isso, por si só, o tornaria o 12o município mais rico do Estado. Lá trabalham 5,5 mil pessoas e 10 mil circulam diariamente lá dentro. No ano passado, 650 mil veículos passaram pelas suas instalações. Logicamente, com todo este poderio econômico, a sua influência política é enorme. Não é por acaso que o relacionamento com a prefeitura é super estreito.

— O que nos interessa é cada vez mais atrair empreendimentos com viés de inovação. Isso não quer dizer que outros tipos de negócios não sejam bons. Não temos preferências por tipo de indústria. Nossa vocação histórica é a diversidade, mas claro que olhamos com mais cautela para companhias com características mais poluidoras – diz Hack.

A grande novidade para 2018 no Perin, é a inauguração do campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), prevista para o dia 5 de março. No novo endereço, alunos e professores vão respirar inovação, tecnologia e empreendedorismo num espaço único. Para Hackm, a universidade auxiliará na busca por empreendimentos com um viés maior em tecnologia. Ele acredita que que várias empresas do setor, com foco em inovação disruptiva, vão procurar o condomínio.

A UFSC, por si só, ocupará 13 mil m2 – 9 mil m2 já estão construídos. Com a UFSC, o condomínio empresarial chegará a 300 mil m2 de área construída. O projeto todo tem 550 mil m2. E ampliações virão, no decorrer dos anos, orientadas a partir das demandas do mercado.

O Perini é relevante para a economia local, regional e estadual. Os 153 empreendimentos em operação – dezenas deles multinacionais – representam 20% do Produto Interno Bruto de Joinville e 2% de todo o PIB criado no Estado de Santa Catarina.

Os diferenciais a auxiliar a atratividade do condomínio também vêm de fora. Na avaliação dos executivos, a logística da região Norte de Santa Catarina é uma das melhores do País. O frete de São Paulo para o Rio Grande do Sul tem um valor, e, no sentido contrário, é bem inferior. Isso ajuda na competitividade. Internamente, a excelência da segurança é mais um fator positivo. O condomínio já oferece serviços diversificados: banco, restaurantes, farmácias, panificadora, entre outros.

FONTEA Notícia
COMPARTILHAR

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here