Escola Municipal Alfredo Germano Henrique Hardt recebe prêmio em concurso teatral

11

A Escola Municipal Alfredo Germano Henrique Hardt recebeu na noite de quarta-feira (4), a premiação de “Melhor conjunto visual” pela participação com a peça teatral “Histórias de Pescador” na 11ª edição do Concurso Teatral Água para Sempre. O concurso foi promovido pela Companhia Águas de Joinville e teve a participação de 31 centros de educação infantil (CEIs) e escolas municipais de Joinville, nos dias 26, 27, 28 e 29 de setembro.

“Estamos muito felizes por mais essa conquista. Queremos agradecer aos familiares que nos auxiliaram e confiam em nós, permitindo que todos os dias possamos cuidar dos seus bens mais preciosos (seus filhos), a mamãe pescadora Sandra que foi inspiração para nossas histórias, as crianças que desempenharam um papel lindíssimo, as crianças que mesmo não fazendo parte do teatro participaram sendo platéia (a platéia é tão importante quanto os atores), as professoras da Educação Infantil que não mediram esforços para realizar esse projeto, as nossas queridas Célia e Josi, pela dedicação em auxiliar nas produções, as professoras do Ensino Fundamental, Educação Física e Artes que nos assistiram e nos auxiliaram com ideias, nossa cozinheira D. Rose pela paciência de ter nos acompanhado nos ensaios, ao Sr. Neri que foi para o mato nos ajudar com as folhas que usamos no cenário… enfim a todos que de uma forma ou outra contribuíram para que se tornasse um belo espetáculo… esse prêmio é para todos vocês que acreditam em nosso trabalho…”

Histórias de pescadores…

O espetáculo “Histórias de pescadores…” é a culminância de um projeto maior sobre a preservação do meio ambiente e a sensibilização da comunidade escolar através de atitudes práticas sobre a importância da natureza e sua função social, tornando o trabalho pedagógico mais significativo e possibilitando que as crianças cresçam conscientes para uma vida sustentável.

A peça teatral se passa nos arredores da Baia da Babitonga e conta a história de dois pescadores, histórias que foram readaptadas pelas crianças da Educação Infantil. Elas tiveram como base as histórias contadas por uma mamãe pescadora que visitou a escola e também pela coletânea de histórias do menino caranguejo, obra de José Francisco Peligrino Xavier, o Chicolam.

intervencao

As crianças também fizeram uma performance (intervenção com as pessoas que iriam assistir à peça teatral) no lado de fora do teatro. As crianças pediam para que as pessoas escrevessem em um papel em forma de peixe “o que esperavam para o futuro da Baia da Babitonga”, então as pessoas colocavam na rede. Depois essa rede foi para o palco, se tornando cenário e no final da peça foram lidos alguns depoimentos.

COMPARTILHAR

11 Comentários

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here